Novas pesquisas sobre a COVID-19: universidades e organizações de pesquisa mostraram-se altamente ativas no patenteamento de vacinas nos primeiros meses da pandemia; depositantes na China e nos E.U.A. lideraram na inovação relativa às vacinas e às terapêuticas

Geneva, 10 de Março de 2022

As universidades e as organizações de pesquisa depositaram quase o mesmo número de pedidos de patentes de vacinas contra a COVID-19 que as empresas, durante os primeiros meses da pandemia mundial, sendo os inovadores na China e nos E.U.A. aqueles que mais patentearam novas tecnologias de vacina e terapêutica para a COVID-19, segundo um relatório da OMPI sobre as tendências na inovação na era da pandemia[1], publicado hoje.

O "Relatório sobre o Panorama das Patentes: Vacinas e Terapêuticas Relacionadas com a COVID-19" conclui também que o maior número de depósitos de patentes relativos à COVID-19 envolveram tecnologias de vacina convencionais e medicamentos reposicionados, seguidos de tecnologias de vacina mais inovadoras, como a tecnologia mRNA. O relatório faz parte do pacote de medidas da OMPI de apoio ao combate à pandemia e é a primeira publicação do gênero a identificar e analisar as atividades de patenteamento relacionado com a COVID-19.

Este relatório aponta que a pandemia desencadeou uma mobilização sem precedentes por parte da comunidade científica mundial e elucida o papel de complementaridade e reforço desempenhado por empresas, start-ups, universidades e institutos de pesquisa para o desenvolvimento de terapêuticas para a COVID-19.

Daren Tang, Diretor Geral da OMPI

"Este relatório ressalta o fato de que a colaboração – entre organizações, agências, setores e países – é essencial para que realizemos avanços significativos no enfrentamento dos desafios mundiais à nossa frente”, disse Daren Tang, que, no lançamento do relatório, estava acompanhado do Diretor Geral da Organização Mundial da Saúde Tedros Adhanom Ghebreyesus e da Diretora Geral da Organização Mundial do Comércio Ngozi Okonjo-Iweala.

Algumas das principais conclusões do relatório

  • Nos primeiros 21 meses da pandemia, foram depositados cerca de 5.300 pedidos de patentes relacionados com a COVID-19, em 49 institutos de patentes.
  • Entre os pedidos depositados, cerca de 1.500 referiam-se a terapêuticas e mais de 400 referiam-se a vacinas.
  • No caso dos depósitos referentes a vacinas, as universidades e as organizações públicas de pesquisa foram responsáveis por 44% do total, contra 49% por parte das empresas. Para fins de comparação, as universidades e as organizações públicas de pesquisa foram responsáveis por apenas 8% de todos os pedidos internacionais de patentes depositados na OMPI em 2021.
  • Os 10 locais onde mais se depositaram pedidos de patentes para vacinas foram China, E.U.A., Federação da Rússia, Reino Unido, República da Coreia, Alemanha, Índia, Áustria, Suíça e Austrália.
  • China, E.U.A. e Índia foram os primeiros países de origem em matéria de terapêutica. Índia e República da Coreia registraram maior atividade nos depósitos de patentes para terapêuticas do que para vacinas.
  • Os dados iniciais provenientes dos institutos de patentes de maior atividade revelaram concessões comparativamente rápidas para pedidos de patentes relacionados com a COVID-19; os inovadores utilizaram procedimentos acelerados gerais ou medidas específicas à COVID-19 implementadas para levar rapidamente novos produtos até o público. Em comparação, tais pedidos foram processados mais rapidamente do que os pedidos de patente nas áreas de química e de biociência no mesmo período (de janeiro de 2020 até setembro de 2021)
  • O relatório também destaca a forma como as organizações de pesquisa e as universidades trabalharam em conjunto com a indústria privada para acelerar o desenvolvimento de vacinas e de terapêuticas para a COVID-19, capazes de salvar vidas, e confirma que a inovação e o desenvolvimento de vacinas em ritmo acelerado, durante a pandemia, foi possível graças a pesquisas de ponta e a avanços tecnológicos realizados antes da pandemia.

[1]O relatório baseia-se nos dados sobre os depósitos de patentes de janeiro de 2020 a setembro de 2021, com base em informações publicamente disponíveis desde setembro de 2021. A publicação de um pedido de patente requer, em média, 18 meses.

About WIPO

The World Intellectual Property Organization (WIPO) is the global forum for intellectual property policy, services, information and cooperation. A specialized agency of the United Nations, WIPO assists its 193 member states in developing a balanced international IP legal framework to meet society's evolving needs. It provides business services for obtaining IP rights in multiple countries and resolving disputes. It delivers capacity-building programs to help developing countries benefit from using IP. And it provides free access to unique knowledge banks of IP information.

For more information, please contact the News and Media Division at WIPO:
  • Tel: (+41 22) 338 81 61 / 338 72 24
  • E-mail