Avanços na pesquisa sobre o crescimento celular com o apoio de sistemas de inovação colaborativa

O físico espanhol David Martínez Martín está desenvolvendo novas tecnologias para aprofundar o entendimento do desenvolvimento celular, e está trabalhando para promover o desenvolvimento de ecossistemas de inovação eficazes que possibilitem a inovação científica. Ele detém uma série de patentes nas áreas de nanotecnologia, biotecnologia e biomedicina.

O físico espanhol David Martínez Martín, professor de engenharia biomédica na Universidade de Sydney, Austrália, acredita que a propriedade intelectual (PI) é essencial para o desenvolvimento de inovações úteis para a sociedade. (Foto: cortesia de OEPM)

O crescimento celular é um processo fundamental para todos os organismos vivos. Contudo, a tecnologia necessária para medir e estudar tal processo é limitada e não tem a capacidade necessária para permitir que os cientistas investiguem e entendam o fenômeno.

O crescimento celular e a sua regulação estão ligados ao envelhecimento, bem como a doenças como câncer, diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares. David Martínez Martín está contribuindo para um melhor conhecimento desses processos por meio do desenvolvimento de tecnologias avançadas que possibilitam o estudo do desenvolvimento celular, o que proporciona novas descobertas e perspectivas para melhorar a assistência médica.

“De alguma forma, as células que constituem nossos olhos, coração, mãos, cérebro, etc., sabem o quanto devem crescer e proliferar para formar todos esses órgãos, com uma precisão espetacular. Para nossa surpresa, ainda se sabe muito pouco sobre o funcionamento desses processos”, explica David.

O trabalho de David Martínez Martín está ajudando a aprofundar os conhecimentos sobre a regulação do crescimento celular, que está ligado ao envelhecimento e a doenças como o câncer (Foto: anusorn nakdee / iStock / Getty Images Plus)

O Programa de Inovação de Sydney: superando desafios em saúde pública

Em suas pesquisas para decifrar e controlar a regulação da massa e do tamanho das células, David pretende trabalhar com uma série de atores como, entre outros, criadores, empreendedores e investidores, a fim de criar ecossistemas de inovação colaborativa, especialmente na área da saúde pública.

Juntamente com o reitor da Faculdade de Direito da Universidade de Sydney, o Professor Simon Bronitt, David fundou o Programa de Inovação de Sydney, que busca soluções para os desafios de hoje em matéria de saúde pública. Ele explora assim a ligação entre direito, inovação e ciência, para ajudar no desenvolvimento de ecossistemas de inovação. “Como físico, eu uso minha criatividade, curiosidade e conhecimento para desenvolver tecnologias inovadores que contribuem para a prosperidade de empresas e o trabalho de pesquisadores”.

David conhece bem o ecossistema da propriedade intelectual, pois depositou seu primeiro pedido de patente há cerca de 10 anos, quando ainda era doutorando na Universidade Autônoma de Madri. Desde então, já obteve uma série de outras patentes, que incluem um dispositivo de medição para determinar a massa celular e um método para controlar microscópios de varredura para a microscopia de força atômica (AFM).

Devido a sua experiência no desenvolvimento de tecnologias inovadoras e na obtenção de patentes, David tem plena convicção de que a propriedade intelectual desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de economias robustas baseadas no conhecimento.

A propriedade industrial e intelectual permite que as inovações sejam transformadas em produtos úteis para a sociedade, gerando riqueza e melhorando o bem-estar,

diz David.

As pesquisas de David foram publicadas em diversas revistas científicas internacionais de prestígio, inclusive na Nature, na Nature Biotechnology, e na Nature Nanotechnology.

David está na Galeria de Jovens do Dia Mundial da Propriedade Intelectual.