Healthbotics Limited: tecnologia blockchain é utilizada para digitalizar o setor de saúde do continente africano

Após concluir o curso de cirurgia médica, Imodoye
Abioro, fundador e CEO da Healthbotics Limited,
decidiu desenvolver soluções para o setor de
saúde da Nigéria (Foto: Cortesia da IFMPA)

Imodoye Abioro, CEO da Healthbotics Limited, define-se como inovador e empreendedor em série. Ele também é desenvolvedor autodidata de software no IBM Cloud. O médico nigeriano de 27 anos vem desenvolvendo soluções inovadoras para mehorar a infraestrutura de cuidados médicos na África. Dentre elas, podemos citar “Lend An Arm”, primeira solução de banco de sangue inteligente da Nigéria, e Mediverse, primeiro sistema de prontuários médicos eletrônicos em nuvem da África e que utiliza a tecnologia blockchain associada à Inteligência Artificial (IA).

Imodoye Abioro é formado em medicina pela Universidade de Ibadan, na Nigéria, e decidiu iniciar sua carreira empresarial em tecnologia médica após concluir o curso de cirurgia médica. Seu objetivo era ajudar a construir uma infraestrutura de saúde sustentável na África usando IA e dados.

Em uma entrevista para a revista Pan African Visions, Imodoye contou que sua trajetória de inovação começou quando seu melhor amigo esvaiu-se em sangue e faleceu no pronto socorro em que Imodoye dava plantão. “Esta perda me deixou arrasado, mas me motivou a fazer algo sobre alguns desses problemas recorrentes de que padecem nossos hospitais e nosso sistema de saúde", explica.

O evento trágico aumentou sua determinação de salvar vidas, graças à inovação, e levou à criação da Healthbotics Limited, startup de tecnologia da saúde cujo objetivo é enfrentar os problemas que dificultam o acesso aos cuidados de saúde na África por meio de soluções que utilizem a IA.

(Foto: Cortesia da IFMPA)

A empresa tem dois carros-chefes. O primeiro, Lend An Arm, foi concebido para garantir que os pacientes tenham acesso aos suprimentos de sangue de que precisam. Imodoye teve a ideia de criar Lend An Arm ainda na Universidade. No início, tratava-se de uma iniciativa dos jovens para incentivar os estudantes a doar sangue. Desde então, o projeto se transformou num aplicativo de smartphone que utiliza algoritmos de geolocalização para conectar hospitais e pacientes que precisam de uma transfusão com bancos de sangue. “Graças ao app e à IA, ajudamos hospitais com pacientes que necessitam de uma transfusão a entrar em contato com os bancos de sangue", explica Imodoye.

A iniciativa ficou entre as finalistas do prêmio Digital Entrepreneurship Competition (Concurso de Empreendedorismo Digital) 2020, e recebeu um prêmio do 2021 World Summit Awards (Prêmios da Cúpula Mundial 2021) da Cúpula Mundial sobre a Sociedade de Informação da ONU 2021 (WSIS).

O segundo carro-chefe da inovação de Imodoye é o Mediverse, primeiro software de Prontuários Médicos Eletrônicos controlados por voz da África, e que utiliza a tecnologia blockchain.

Graças ao Mediverse, os profissionais de saúde, inclusive os que atuam em áreas remotas, com ou sem acesso à Internet, podem usar a voz para inserir e recuperar informações sobre os pacientes utilizando qualquer dispositivo eletrônico. “Um dos nossos objetivos era permitir que os médicos pudessem ditar notas usando seu próprio PC, laptop, tablet ou telefone. Criamos um assistente de IA chamado ‘Luku’ que tornou isso possível”, explica Imodoye, salientando que com o Mediverse “os dados dos pacientes podem ser capturados e atualizados offline, até mesmo via SMS”.

Imodoye ganhou vários prêmios por seu trabalho. Dentre os quais, podemos citar o primeiro lugar no African App Launchpad Cup Competition (Copa da Plataforma Africana de Lançamento de App 2020). Sua startup médica também foi recompensada no The 2020 Digital Entrepreneurship Competition (Concurso de Empreendedorismo Digital 2020). Em 2021, conquistou o terceiro lugar no African Young Innovator for Health Award (Prêmio do Jovem Inovador Africano para a Saúde), da Federação Internacional de Fabricantes e Associações Farmacêuticas (IFMPA).


Vídeo: Veja como a iniciativa Lend An Arm vem revolucionando o fornecimento de sangue e de produtos sanguíneos na Nigéria.

Imodoye planeja expandir seu trabalho para além da Nigéria, e atender países como Benin, Gana e África do Sul em 2022, de modo a perseguir seu objetivo de aprimorar, por meio dos dados, a qualidade do atendimento médico na África. “Estou sempre refletindo sobre o futuro e o que podemos fazer de modo diferente para salvar vidas humanas”, conclui o jovem médico.  

Consulte o perfil de Imodoye Abioro na Galeria de Jovens do Dia Mundial da Propriedade Intelectual.